quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Coleciona:Fichário d@ Educador Ambiental: Educação Ambiental e Agricultura Familiar



Créditos:Ideias na Mesa/UnB

Data: 25/08/2016

COLECIONA: Fichário d@ Educador Ambiental: Educação Ambiental e Agricultura Familiar
Foi lançado pelo Ministério do Meo Ambiente (MMA) a 13ª edição da revista COLECIONA: Fichário d@ Educador Ambiental, que trata da Comunicação em Educação Ambiental para a Agricultura Familiar, com o objetivo de desenvolver práticas pedagógicas que possam contribuir para a construção de ações coletivas para o enfrentamento da problemática socioambiental no meio rural. O fichário contém textos, relatos de experiências sobre educação ambiental no meio rural e entrevistas sobre o tema, gerando assim um banco de informações para educadores ambientais e para toda a população. 






quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Reportagem: Oficina online gratuita na Rede Mobilizadores debate Impactos do crescimento do uso de agrotóxicos




Fonte: COEP

Data: 10/08/2016

O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Estima-se que cada brasileiro ingira, indiretamente, uma média de 5,2 litros de venenos por ano, o equivalente a duas garrafas e meia de refrigerante, ou a 14 latas de cerveja. Além disso, utiliza 22 produtos que já foram banidos em outros países, devido à comprovação de seus efeitos nocivos, e convive com a falsificação e o contrabando desses venenos.

Diante desse cenário, que gera insegurança e medo, a Rede Mobilizadores promove, de 15 a 19 de agosto, a oficina online gratuita “Agrotóxicos: impactos e alternativas”, para debater os principais efeitos desses produtos sobre a saúde da população e do meio ambiente, e os principais obstáculos para redução do uso de venenos em nossa produção agrícola.

A atividade terá facilitação de André Burigo, pesquisador e professor da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), integrante do Grupo de Trabalho Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e um dos organizadores do Dossiê Abrasco sobre Agrotóxicos.

Segundo o Dossiê Abrasco, 70% dos alimentos in natura consumidos no país estão contaminados por agrotóxicos. Desses, de acordo com a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), 28% contêm substâncias não autorizadas.

O uso crescente de agrotóxicos em nosso país deve-se a dois fatores prioritários: a opção por um modelo de desenvolvimento baseado em latifúndios monocultores voltados para exportação, e uma série de políticas, como a redução e a isenção de impostos que, ao longo do tempo, tem incentivado o uso desses produtos na agricultura. O país oferece mais benefícios ao cultivo baseado no uso de agrotóxicos do que aos cultivos orgânicos. Mas, se houve um incentivo ao uso de venenos na produção agrícola, este não foi acompanhado pelo cuidado em treinar e orientar os produtores rurais quanto à manipulação e aplicação desses produtos, o que tem levado a milhares de casos de contaminação de trabalhadores do campo.

Além de ter estimulado o uso de agrotóxicos, a política governamental também incentivou os agricultores familiares a trocarem as sementes tradicionais, que eles mesmos selecionavam e plantavam, pela semente híbrida, sob alegação de que era mais produtiva, comprometendo, assim, a sobrevivência econômica e a segurança alimentar dessas populações.

A proposta é que, durante a oficina, os participantes possam debater os motivos que levaram o Brasil se tornar o maior consumidor de agrotóxicos do planeta; os principais efeitos do uso de venenos na produção de alimentos sobre a saúde da população, dos trabalhadores rurais e do meio ambiente; as dificuldades para se reduzir o uso de agrotóxicos; a viabilidade de se produzir alimentos em grande escala sem uso de produtos químicos tóxicos, entre outros.


Inscrições

As inscrições para a oficina podem ser feitas de 09 a 19 de agosto. Para se inscrever, é preciso estar cadastrado no site da Rede Mobilizadores. O processo é simples, rápido e gratuito. Faça seu cadastro em: http://www.mobilizadores.org.br/inscreva-se/.

Depois de cadastrado, faça sua inscrição na oficina em: .

Mais informações no site (www.mobilizadores.org.br) ou pelo telefone: 21 – 2528-3352.



Esta oficina esta sendo realizada com apoio: Banco do Brasil e Furnas 



Fonte/publicação: ideiasnamesa.unb.br/


domingo, 7 de agosto de 2016

Livro:A Implementação da Educação Ambiental no Brasil





Créditos:ICMBIO

Data: 07/08/2016

Veja aqui/PDF/.


Dentre as medidas adotadas pelo governo visando a melhoria da
qualidade da educação pública no Brasil, destacam-se os PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais, conjunto de documentos preparados pelo MEC com a colaboração de inúmeros especialistas e a cooperação de instituições e entidades de estudos e pesquisas educacionais. Os documentos editados e distribuídos pelo Ministério e aprovados no Conselho Nacional de Educação tornaram-se objeto de seminários, reuniões de professores e dirigentes dos sistemas educacionais que trabalham hoje na construção de currículos mais adequados às peculiaridades culturais de cada região do país.




Fonte: http://www.icmbio.gov.br/ Blog Caiçara 

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Cartilha:Protejam as nascentes






Fonte da publicação: Universidade Orgânica

Cartilha/aqui/.


Cartilha Protejam as Nascentes: as nascentes são locais sagrados onde aflora a água, o bem mais precioso para  os agricultores, aprender como preserva-las é fundamental para nossa sobrevivência no planeta terra.






Fonte: http://universidadeorganica.com.br

segunda-feira, 18 de julho de 2016

MMA abre curso sobre resíduos sólidos




Créditos:Ministério do Meio Ambiente

Data: 18/07/2016

Fernando Angeolleto

Compostagem: gestão de resíduos
Novas vagas estão disponíveis a partir de hoje. Objetivo é apoiar municípios na elaboração do plano de gestão para o descarte adequado.

Atualizada em 18 de julho de 2016 - às 18 horas

MARTA MORAES

Devido à grande procura pela 4ª edição do curso para Elaboração de Planos de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, o Ministério do Meio Ambiente disponibiliza nesta segunda-feira (18/07) mais 1 mil vagas. Inicialmente, as inscrições abriram na sexta-feira passada (15/07) e esgotaram no mesmo dia.

O curso tem 20 horas de duração e será realizado no período de 4 de agosto a 7 de setembro. Podem participar técnicos das prefeituras de municípios de pequeno porte, com menos de 20 mil habitantes.

A capacitação será realizada na modalidade a distância (EaD), sem tutoria. As inscrições podem ser realizadas no Ambiente Virtual de Aprendizagem, até 2 de agosto, dia em que a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010) completa seis anos de existência.

A pesquisadora em saneamento ambiental Elaine Nolasco, professora da Universidade de Brasília (UnB), acredita que a dificuldade para introdução de políticas de manejo – como reciclagem e criação de aterros sanitários – atinge sobretudo os municípios pequenos, com até 20 mil habitantes. “Faltam recursos e contingente técnico nas pequenas prefeituras. A capacitação a distância no tema é positiva, mas é preciso mais divulgação desse instrumento, além da conscientização sobre a importância do manejo do resíduos domicilares”, afirmou.

CONTEÚDO

Durante o curso, os alunos conhecerão técnicas que permitirão desenvolver, com mais segurança, planos de gestão de resíduos sólidos. Por meio dessa iniciativa, o MMA buscou detalhar uma metodologia de fácil entendimento para municípios de pequeno porte (maioria no Brasil), baseada nos princípios, objetivos e diretrizes da Lei nº 12.305/2010. Esse ciclo de cursos tem por objetivo qualificar e alinhar os municípios brasileiros frente aos desafios da PNRS.

O curso também é útil para os municípios de maior porte, como explica o gerente de Resíduos Sólidos do MMA, Eduardo Rocha. "Os participantes de municípios que não se enquadram neste perfil populacional (pequeno porte), poderão aproveitar a oportunidade para pegar dicas da metodologia de planos simplificados", observa. “Adaptando o conteúdo à complexidade da gestão dos municípios de maior porte populacional, sempre se atentando para a cautela e o bom senso”.


Para cadastrar, consulte este tutorial


Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): (61) 2028-1227