quinta-feira, 25 de maio de 2017

Apoie a proibição de vendas de refrigerantes nas escolas públicas e privadas




Créditos: IDEC

Data: 25/05/2017

Home

Está para ser votado na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC), da Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 1755/2007 que visa proibir a venda de refrigerantes em escolas públicas e privadas com estudantes do 1º ao 9º ano. 

O Idec, de forma aderente à sua luta de 30 anos pelos direitos do consumidor, apoia e reconhece a enorme importância dessa ação para o enfrentamento da obesidade infantil, que já atinge níveis alarmantes no Brasil e no mundo.

Crianças e adolescentes brasileiros passam boa parte do dia no ambiente escolar, portanto é essencial que esse espaço favoreça escolhas alimentares saudáveis e evite a oferta de produtos ultraprocessados - é papel do Estado garantir a elas esse direito. 

Produtos ultraprocessados, incluindo os refrigerantes, não são recomendados pelo Guia Alimentar da População Brasileira, do Ministério da Saúde, como parte de uma alimentação adequada e saudável. Além disso, estudos comprovam que bebidas açucaradas estão diretamente ligadas aos altos e crescentes índices de obesidade infantil, portanto medidas urgentes precisam ser tomadas para que a venda desses produtos seja proibida nas escolas. 

Pesquisas também já comprovaram que o excesso de peso e obesidade levam a diversos problemas de saúde, a uma piora significativa da qualidade de vida e também impactam em importantes aspectos psicológicos e sociais críticos para as crianças e adolescentes. Sendo assim, alguns dados precisam ser considerados: 

- A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o valor máximo do consumo de açúcar seja 5% do valor total das calorias consumidas por dia. No Brasil, o consumo de açúcar por crianças e adolescentes passa de 17% do valor diário de calorias.

- Segundo a OMS, mais de 30% das crianças e jovens brasileiros estão com excesso de peso, o que é um fator de risco para doenças cardiovasculares e diabetes.

- A Constituição Federal (art. 227) e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, em seu art. 4º) preveem que a proteção da criança e do adolescente é medida prioritária e deve ocorrer por ação conjunta do Estado, da família e da sociedade, destacando expressamente o dever de atenção aos direitos à vida, à saúde e à alimentação. 


É nesse sentido que o Idec defende a aprovação do PL 1755/2007, que está em análise na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. Cabe ao Estado adotar medidas que garantam a proteção das crianças e  adolescentes, pois trata-se de direitos fundamentais trazidos pela Constituição, que devem se sobrepor a qualquer interesse do mercado. 

É por meio de políticas públicas que priorizam a alimentação adequada e saudável que esses direitos poderão ser exercidos de forma plena e eficiente. 

Divulgue essa campanha

Fonte: http://www.idec.org.br/


terça-feira, 23 de maio de 2017

Como acabar com as aranhas em casa/Lar Natural




Créditos: Lar Natural
Data: 23/05/2017

Acabar, acabar mesmo, não há como. Mas, calma! Se você quer saber como acabar com as aranhas vai descobrir aqui que é possível controlar e diminuir drasticamente a presença das aranhas na nossa casa. Existem milhares de espécies de aranhas, grande parte é inofensiva ao homem, mas algumas espécies podem causar sérios acidentes. Ou seja, dentro de casa, o ideal é evitar a presença desses bichinhos. Veja como controlar naturalmente o surgimento das aranhas na sua casa.

Quero baixar
Aranha em casa, como?

As aranhas podem viver nos mais diferentes tipos de habitat e, muitas vezes, são levadas até à nossa casa em caixas e objetos. Elas procuram lugares escuros e secos para se esconder, por exemplo, atrás de quadros, armários, em forros, calçados, frestas na parede ou madeiras, etc. Algumas aranhas como a aranha marrom, comumente encontrada em grandes centros urbanos como na cidade de Curitiba, por exemplo, pode provocar sérios problemas.

Embora esta aranha só pique quando não existe outra possibilidade de escape, os acidentes com esta espécie são muito comuns. O local atingido pela aranha marrom fica inchado e dolorido, o tecido pode até necrosar, sem falar que em casos mais graves a vítima pode sofrer alterações renais sérias, entre outros problemas. O ideal é sempre procurar um médico ao perceber alguma picada ou vermelhidão incomum no corpo.

Como acabar com as aranhas em casa

Medidas de prevenção simples e que servem para o controle de uma série de pragas urbanas incluem:

Manter a casa sempre limpa, aspirando os móveis, quadros e rodapés;
Evitar o acúmulo de papéis e caixas ou sacolas de papelão, bem como de entulho em geral;
Como as aranhas gostam de plantas, é bom sempre ficar de olho no seu jardim ou horta para detectar a presença das aranhas;
Vede todos os buraquinhos e frestas que encontrar nas paredes e no piso;
Tem um quartinho de bagunça? Então, mantenha-o sempre muito bem limpo;
Remova todas as teias de aranha que encontrar e limpe o teto a cada 15 dias passando uma vassoura com um pano úmido embebido em uma solução em partes iguais de água, vinagre de álcool e óleo essencial de cravo ou essência de cânfora (o cheiro é muito forte);
Coloque tela de proteção nas janelas e portas.

Receitinhas para limpar a casa e espantar as aranhas:

Misture em uma embalagem com tampa 1 litro de álcool líquido (30%), 30 cravos da Índia e 5 pedrinhas de cânfora. Lembre-se: o cheiro da cânfora é muito forte, então se preferir, troque-a por 5 ml de óleo essencial de alecrim. Deixe repousar esta mistura por uma semana. Depois, use-a 1 x por semana para limpar os cantinhos das paredes, até o teto, rodapés, atrás de quadros e móveis como armários e guarda-roupa.


Atenção: o cravo vai deixar esta mistura com uma coloração marrom, se for preciso para evitar manchar as superfícies, dilua um pouco esta mistura em água e faça um teste para ver se a superfície não ficará manchada.

Outra opção de receitinha para quem deseja um aroma menos “marcante” é misturar 1 l de álcool a 20 ml de óleo essencial de lavanda e 20 de óleo essencial de cedro e fazer do mesmo jeito que na receita anterior.

Clique aqui para assistir aos vídeos do Lar Natural no Youtube!


Meio Ambiente por Inteiro - Transportes públicos e alternativos

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Gibi: "Era uma vez no campo"/Fundação Abrinq



Créditos: Fundação Abrinq 

Data: 15/05/2017




"Era uma vez no Campo" é uma história em quadrinhos que narra as consequências do trabalho infantil na vida de uma criança. Desenvolvido pela Fundação Abrinq, o gibi destaca a importância de respeitar os direitos das crianças e defende o acesso à educação de qualidade. Leia em:






Fonte: Fundação Abrinq -- acesse o link: https://www.fadc.org.br/